Urbam vende créditos de carbono produzidos pelo biogás do Aterro

Urbam vende créditos de carbono produzidos pelo biogás do Aterro

  • Post category:Atuação
Compartilhe nas redes

A Urbam e a Prefeitura fortalecerão a sustentabilidade do Aterro Sanitário de São José dos Campos com a venda dos créditos de carbono, produzidos a partir da captação do biogás. Essa será mais uma etapa na modernização do local, que também vai gerar energia por meio do biogás.

A Arauna Energia e Gestão Ambiental, concessionária que explora a captação do biogás no aterro, fechou acordo com a empresa suíça First Climate, que vai adquirir os créditos de carbono a partir de outubro, com um valor médio de 2,29 euros, resultando em uma receita para a Urbam de mais de R$ 1 milhão. A First Climate foi fundada em 1999 e é líder mundial no mercado de créditos de carbono e de ativos ambientais.

O processo de geração de energia por meio do biogás do aterro sanitário foi fundamental para que a First Climate fechasse o acordo de compra dos créditos de carbono. O biogás gerado pela decomposição dos resíduos sólidos é tratado, deixando de poluir a atmosfera.

O biogás é composto principalmente pelo gás metano, 25 vezes mais impactante na atmosfera que o dióxido de carbono (CO2). Este gás é captado por uma rede de drenos subterrâneos em toda a área do aterro e é direcionado à uma central, onde ocorre o tratamento, por meio da “queima enclausurada” em um flare, à temperatura aproximada de 600 graus. A alta eficiência deste sistema elimina 98% do gás captado. O volume captado equivale à poluição gerada por toda a frota de automóveis de São José dos Campos.

Créditos de carbono

Os créditos de carbono, chamados oficialmente de Redução Certificada de Emissão, são uma espécie de moeda de troca criada pelo Mecanismo de Desenvolvimento Limpo do Protocolo de Kyoto.

Cada tonelada de CO2 que deixa de ir para a atmosfera gera 1 crédito de carbono, que pode ser comercializado no mercado internacional. Deste modo, a captação de gases no Aterro Sanitário de São José, além de representar uma ação concreta de proteção ao meio ambiente, gera recursos financeiros para o município.

Geração de Energia

A Prefeitura de São José dos Campos e a Urbam assinaram, em 27 de junho, a autorização para geração de energia por meio do biogás do Aterro Sanitário.

A partir da assinatura da ordem de serviço, a KR Energia Ltda – empresa vencedora da licitação – tem um prazo de 14 meses para começar a gerar energia. Ela vai implantar, operar e comercializar a energia gerada.

No aterro sanitário são depositadas uma média de 650 toneladas por dia de resíduos. O sistema vai gerar 3,12 MW de potência – energia renovável suficiente para o consumo de 25 mil habitantes – o equivalente a 9 mil residências.

Protocolo de Kyoto

Em 1997, a ONU celebrou um acordo internacional no Japão, conhecido como Protocolo de Kyoto, o qual estabeleceu que os países industrializados deveriam reduzir suas emissões de gases de efeito estufa.

O Mecanismo de Desenvolvimento Limpo – MDL – permitiu aos países industrializados investir em projetos de desenvolvimento sustentáveis de países como o Brasil, baseando-se em um sistema de compensação com créditos de carbono.

Deste modo, o Brasil pode desenvolver voluntariamente projetos para redução das emissões ou sequestro do carbono, acumulando créditos por estas atividades. Estes créditos podem ser comprados por países industrializados que não atingem suas metas ambientais