Santa Cecília II: reunião discute saneamento básico para o bairro

Santa Cecília II: reunião discute saneamento básico para o bairro

Compartilhe nas redes

A Prefeitura de São José dos Campos se reuniu com moradores do Santa Cecília II na última sexta-feira (06) para discutir a questão do saneamento básico para o bairro.

O loteamento, ainda irregular, carece de atuação mais eficaz da Sabesp, responsável pelos serviços. O diretor de concessionárias da Prefeitura, René Vernice, afirmou que o Ministério Púbico limita a atuação da empresa em bairros clandestinos, por considerá-los áreas de risco ou por estarem situados em APP (Área de Preservação Permanente).

A vereadora Amélia Naomi, presente na reunião, citou a luta pela água dos moradores do Recanto dos Tamoios como exemplo do esforço da atual administração municipal em resolver os problemas deixados por uma política de habitação até então ausente. “Por muitos anos nossa cidade assistiu a multiplicação desordenada dos bairros, que cresceram sem infraestrutura. Felizmente, desde 2013, essa realidade está mudando com a regularização dos bairros, que permitem aos moradores a conquista do título de posse e a chegada da infraestrutura necessária”, afirmou. Em abril, a Sabesp realizou uma vistoria nos poços artesianos do Recanto e se propôs a estudar a possibilidade de o bairro ter água encanada.

Amélia também aproveitou para incentivar a movimentação da população pela luta de seus direitos. “Não tem problema ir pra rua dizer que quer água. Todas essas reivindicações são legítimas”, destacou.

Câmara cobra a Sabesp

Em maio, o Legislativo Municipal realizou uma reunião entre vereadores e diretores da Sabesp para cobrar uma atuação mais eficaz da empresa em bairros ainda não regularizados.

Na ocasião, foi exposta uma cláusula no contrato de prestação de serviço que exige a instalação das redes de saneamento nos bairros clandestinos. Dentre essas reivindicações, os vereadores criticaram outras questões, como vazamentos, perdas nos hidrômetros, mau cheiro em redes de esgoto, reclamações de consumidores não solucionadas, atraso em obras e faltas d’água.

A Sabesp assegurou que com captação de água do Rio Paraíba e poços artesianos, vai investir R$ 24 milhões até 2015 prevendo reduzir as perdas em 20%, e que a partir de dezembro deste ano São José vai contar com 100% do esgoto tratado. A melhoria será possível por meio do investimento de R$ 86 milhões na obra da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Pararangaba, na zona leste.