Amélia participa de ato contra as demissões na GM

Compartilhe nas redes

Na ultima sexta-feira (14/08), a vereadora Amélia participou do ato em repúdio às demissões realizadas na GM. A concentração foi na porta da fábrica e seguiu em passeata até a igreja de São Judas Tadeu, no Jardim Paulista.

Participaram da passeata funcionários demitidos da GM, seus familiares, sindicalistas, ativistas e estudantes, com apoio de mais de 40 entidades de todo o país. Eles carregaram faixas, bandeiras e cartazes criticando a empresa, que demitiu os trabalhadores por telegrama na véspera da comemoração do dia dos Pais.

A Vereadora Amélia tem se colocado favorável na defesa das trabalhadoras e trabalhadores da GM. À época em que foi presidente da câmara, a vereadora acompanhou as discussões e realizou audiências públicas para tentar uma conciliação entre empresa e sindicato. O objetivo era reverter as demissões e trazer investimentos para a unidade de São José dos Campos. Na época foi possível manter os funcionários que seriam demitidos, graças ao apoio e empenho dos vereadores da bancada do PT e da atuação do sindicato.

Agora, vemos a empresa tomando medidas extremas ao realizar a demissão de quase 800 funcionários na véspera do dia dos pais. Numa data tão especial, as famílias receberam a péssima surpresa em um telegrama informando a demissão.

O PT considera legítima a pauta de reivindicações, que exige a abertura imediata de negociações e reversão das demissões realizadas pela fábrica e presta total solidariedade aos trabalhadores e trabalhadoras da empresa.

Em 2013, o prefeito Carlinhos também atuou junto à montadora para estimular um clima de diálogo entre a empresa e os sindicalistas. O prefeito já conversou com a direção da montadora e com o Juiz do TRT, em Campinas, abrindo o diálogo e a busca de uma solução para o problema.

  

 

Dilma reduziu imposto para garantir empregos

Entre 2012 e 2014 o governo da presidenta Dilma reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para garantir empregos, especialmente nas montadoras de automóveis. Com a redução as montadoras economizaram R$ 11,5 bilhões em impostos. O incentivo foi até dezembro de 2014.

Ao final do benefício, em novembro do ano passado, o próprio Diretor de Assuntos Institucionais da GM e presidente da Anfavea, Luiz Moan, avaliou que a elevação do imposto não traria demissões no setor. “A indústria automobilística tem seus trabalhadores em um nível muito qualificado e evitou fazer uma redução do pessoal em função justamente desse investimento que foi feito. Vamos lutar para continuar o máximo possível produzindo e vendendo”, ressaltou Moan à época.