Título de Cidadão Joseense ao Sr Miguel Sampaio Júnior

Reconhecimento pelos trabalhos prestados na cidade como Secretário de Obras, Habitação e Planejamento

Uma justa homenagem foi realizada ao amigo Miguel Sampaio Júnior, pelos serviços prestados e pela dedicação ao desenvolvimento da cidade.
Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos e Gerente de Cidades, Miguel trabalhou ativamente para São José ser mais humana e atenciosa à quem precisa.

Atuou como Secretário de Obras, Secretário de Habitação e Secretário de Planejamento na prefeitura de São José dos Campos, realizando com excelência todo trabalho que lhe foi dado.

A homenagem foi prestada por iniciativa dos vereadores Amélia Naomi e Robertinho da Padaria. Estiveram presentes na cerimônia também os vereadores Dra. Angela, Macedo Bastos e Wagner Balieiro.

O evento contou também com a presença de representantes da Caixa Econômica Federal, Câmara Municipal e Prefeitura de Guaratinguetá.

 

Gravação realizada pela TV Câmara da Câmara Municipal de São José dos Campos.

Vermelho: Campanha com profissionais do RH expõe racismo no Brasil

Vermelho: Campanha com profissionais do RH expõe racismo no Brasil

A campanha “Chega de fingir que é normal” divulgada pelo Governo do Paraná nas redes sociais reacende o debate sobre o racismo latente no cotidiano do brasileiro e que acarreta vários prejuízos para quem sente na pele a discriminação racial. No vídeo, dois grupos de profissionais do RH são levados a comentar imagens realizadas com modelos negros e brancos, mas a diferente percepção demonstra que o racismo pode ser responsável por tirar vários trabalhadores negros do mercado de trabalho.

 

Escola Interativa já está em mais de 30 EMEFs de São José dos Campos

Escola Interativa já está em mais de 30 EMEFs de São José dos Campos

As escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEF) Professora Ruth Nunes da Trindade, no Parque Interlagos, e Professora Norma de Conti Simão, no Bosque dos Ipês receberam o Programa Escola Interativa.

Com o programa, as salas de aula das escolas municipais são equipadas com recursos tecnológicos como servidor, notebook do professor, tablet do aluno, projetor interativo integrado com os demais equipamentos e conteúdo virtual obtido por meio de acesso à internet (via wifi).

Além das EMEFS, outras 72 escolas de Educação Infantil foram contempladas pelo programa. Neste caso, a Escola Interativa vem sendo implantada nas Salas de Leitura, deixando o aprendizado ainda mais interessante e contribuindo para a qualidade de ensino das crianças.

Até o final do ano, serão 46 EMEFS e 76 escolas de Educação Infantil beneficiadas pelo programa, permitindo o acesso tecnológico e preparando mais de 60 mil alunos para o futuro.

Vereadora Amélia destaca serviços e conquistas da população em sessão de Câmara

Vereadora Amélia destaca serviços e conquistas da população em sessão de Câmara

Vereadora Amélia realiza apresentação na sessão de Câmara do dia 19 de abril falando sobre o episódio da votação do impeachment na Câmara dos Deputados, no qual vários deputados utilizaram da tribuna para fazer menção e homenagem à torturadores e ao Golpe de 64.

A Vereadora falou também das melhorias realizadas no município como a instalação da Academia ao Ar Livre no Residencial Juritis e a manutenção da quadra de futsal na praça do bairro. Uma vitória da população que se organizou e encaminhou ao prefeito um abaixo-assinado com mais de 800 assinaturas.

Por fim, a Vereadora apresentou o trabalho da carreta do programa Via Rápida, que oferece cursos à população próximo de suas moradias. O curso de Costureira oferece aos participantes uma oportunidade maior no mercado de trabalho.

Dilma: “Estou tendo meus direitos torturados, mas sei que a democracia é o lado certo da história”

Dilma: “Estou tendo meus direitos torturados, mas sei que a democracia é o lado certo da história”

Em sua primeira declaração após a abertura do processo de impeachment, a presidente Dilma Rousseff disse, nesta segunda-feira (18), em coletiva no Palácio do Planalto, que se sente injustiçada pela decisão da Câmara dos Deputados. Dilma disse que viu todas as declarações dos deputados e que nenhum deles a acusou de crime de responsabilidade.

“Não vi uma discussão sobre o crime de responsabilidade, a única maneira de se julgar um presidente da República no Brasil. Isso porque a Constituição assim o prevê. Ela prevê que é possível [o impeachment] e está escrito, mas a Constituição estipula que é necessário a existência do crime de responsabilidade para que um presidente possa ser afastado do cargo. Isso depois de receber os votos majoritários da população. Recebi 54 milhões de votos e me sinto indignada”, afirmou.

A presidenta falou também que tem certeza de que os deputados sabem que ela não cometeu crime de responsabilidade. “Além disso não há contra mim nenhuma acusação de desvio de dinheiro público, enriquecimento ilícito, não fui acusado de ter contas no exterior.”

Dilma afirmou ainda que não vai desistir de lutar em nenhum momento e que não está em questão o seu mandato, mas sim a democracia. “Estou tendo meus direitos torturados, mas não vão matar a esperança, porque eu sei que a democracia é sempre o lado certo da história. E isso quem me ensinou foi a historia de meus País. Foram dezenas, centenas, milhares de pessoas que lutaram pela democracia.”

Sobre a continuidade do processo, a presidenta demonstrou confiança em ser absolvida no Senado e se disse preparada para o “quarto turno”, numa referência às disputas políticas que enfrenta desde sua vitória no segundo turno das eleições de 2014. Ela reclamou que o Congresso não deu trégua nos últimos 15 meses e citou, como exemplo, as chamadas pautas bombas, que aumentariam o rombo no Orçamento em R$ 140 bilhões.“Vejam vocês que, contra mim, praticaram sistematicamente a tática do quanto pior melhor. Pior pro governo, melhor para a oposição. As pautas bombas chegaram, no ano passado, a 140 bilhões.”

Em respostas a jornalistas, Dilma afirmou que a sociedade não gosta de traidores e reclamou de como a tática foi utilizada de forma explícita dentro do seu governo. “É estarrecedor que um vice-presidente, no exercício de seu mandato, conspire abertamente contra a presidenta. Em nenhuma democracia do mundo uma pessoa que fizesse isso seria respeitada, porque cada um de nós sabe a injustiça e a dor que se sente quando se vê a traição no ato”.

Questionada a respeito de uma eventual ação recorrendo ao Superior Tribunal Federal por não terem sido citadas as pedaladas pelos congressistas, a presidenta não disse que sim, nem que não. “Nós não vamos abrir mão de nenhum instrumento que temos para defender a democracia. Não se trata de judicializar o processo, mas de exercer, em todas as dimensões e consequências, o direito de defesa”.

 

 

Fonte: Linha Direta