RBA: Os avanços no ensino público superior estão ameaçados

RBA: Os avanços no ensino público superior estão ameaçados

“Vínhamos de um contexto em que o Brasil assegurou recursos para que atingíssemos uma meta, que considero moderada, de ter 20% dos jovens de 18 a 24 anos na universidade até 2020. E achávamos que seria possível com os recursos do pré-sal. Agora, vivemos outro cenário, sem conseguirmos ampliar as vagas. O desafio agora é manter os cursos, concluir os concursos, decidir internamente sobre os cursos abertos com financiamento de outros programas federais agora extintos”, relata Andrioli. “O cenário que visualizamos é que dificilmente os estudantes terão acesso à universidade pública. Estamos voltando à política que imperou no país na década de 1990. À frente do MEC estão as mesmas pessoas de antes, que sucatearam a educação nos anos 1990.”

O tom se repete com a diretora de Universidades Públicas da União Nacional dos Estudantes (UNE), Graziele Monteiro. “Era um tempo em que as universidades estavam sucateadas. Faltava dinheiro para coisas básicas, como pagar luz e água”, conta. De acordo com ela, superado o sucateamento, políticas de apoio à permanência ganharam a dimensão principal. “A nova universidade que construímos corre risco de acabar. Há ameaça de cortes de vagas principalmente em cursos de licenciatura, mais populares, na extensão. Com o congelamento do orçamento trazido pela PEC, é a volta a uma era de desmonte da universidade pública. O risco é de fim da popularização da educação pública de qualidade no país.”

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) defende justamente a consolidação da expansão universitária federal. Em aula magna na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), no final de setembro, a presidenta da entidade, Ângela Maria Paiva Cruz, reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), destacou o aumento de cursos noturnos, a revisão da estrutura dos programas e a atualização dos projetos pedagógicos e das políticas de democratização do acesso e de assistência estudantil. Segundo ela, “a cara da universidade federal passou a ser a cara do Brasil”. Segundo um estudo recente da Andifes, 66,19% dos alunos matriculados têm origem em famílias com renda média de até 1,5 salário mínimo. Se consideradas apenas as regiões Norte e Nordeste, esse percentual atinge 76%.

Os docentes, com queixas sobre as dificuldades de trabalhar numa rede em expansão com suas mais variadas implicações, temem agora a total precarização do trabalho. “Já estava difícil. Estamos com salários defasados, perdas em torno de 20%, e muitos professores ainda contratados temporariamente”, avalia o primeiro-secretário do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), Francisco Jacob Paiva da Silva. E vai piorar, segundo ele, quando os cursos começarem a ser extintos e a infraestrutura e laboratórios sucatearem. “Defendemos mais investimentos, melhores condições, mais vagas, e recebemos a PEC. Temos de pressionar contra porque se trata do desmonte, da estagnação, da desesperança.”

 

Fonte: Rede Brasil Atual

 

Jardim Santa Edwiges receberá nova creche

Jardim Santa Edwiges receberá nova creche

A Prefeitura de São José dos Campos abriu licitação para a construção de uma nova creche na região Sul da cidade. A unidade será instalada no Jardim Santa Edwiges e terá capacidade para atender cerca 350 crianças das imediações do bairro, como Jardim Imperial, Jardim República, Jardim Nova República, entre outros.

CrecheA nova creche será equipada com dez salas voltadas para atender crianças de 0 a 5 anos. O prédio vai contar ainda com fraldários, solários, lactário, além de parquinho e jardim.

O processo de seleção das empresas interessadas na construção da creche prossegue até o dia 16 de maio, quando serão abertos os envelopes com a documentação e proposta comercial. O edital completo com os detalhes técnicos do projeto está disponível no site oficial da Prefeitura.

A empresa que apresentar o menor preço para a obra, cujo valor teto é de R$ 4,4 milhões, será a escolhida. Após a assinatura do contrato, a vencedora da licitação tem 12 meses para concluir a construção da creche.

 

Ampliação de vagas

A ampliação de vagas nas escolas de Educação Infantil na rede municipal é uma das prioridades desta administração. Já foram abertas cerca de 5 mil novas vagas nas unidades infantis e a administração está trabalhando para garantir o acesso a todos.

Desde 2013, a Prefeitura de São José dos Campos entregou sete escolas. Foram três de ensino fundamental: Escola Estadual da Vila Paiva, Escola Hélio Walter Bevilacqua (em parceria com o Estado, no Jardim República) e a Escola Municipal Emmanuel Antônio dos Santos (no Frei Galvão).

Também foram construídas cinco unidades de educação infantil: Escola Municipal de Educação Infantil Lúcia Maria do Amaral (Jardim Santa Júlia), Núcleo de Educação Infantil Oswaldo Coppio (Jardim São José 2), Instituto Materno-Infantil Helena Vaz de Lima Soliva (Centro), Instituto Materno-Infantil Helena Ferreira (no Jardim Jussara) e Instituto Materno Infantil (IMI) Professora Eliana de Oliveira Santos Cruz (no Res. Armando Moreira Righi).

 

Mais asfalto

A região do Jardim Santa Edwiges já foi beneficiada pela Prefeitura com uma série de melhorias, entre elas a pavimentação de ruas e avenidas. Depois de anos de espera, o Jardim Nova República foi asfaltado pela administração municipal no final de 2014. No local, foram investidos R$ 2,8 milhões, por meio do Plano Comunitário de Melhorias (PCM).

O asfalto também chegou ao Santa Edwiges, onde cinco importantes vias do bairro foram pavimentadas. O trabalho beneficiou cerca de 150 famílias.

Qualifica São José oferece treinamento para instalações hidráulicas

Qualifica São José oferece treinamento para instalações hidráulicas

O Programa Qualifica, da Prefeitura de São José dos Campos, está com inscrições abertas até o dia 3 de abril para o treinamento na área de hidráulica – Dimensionamento de instalações de água fria. Serão cem vagas e as inscrições podem ser feitas pelo site do programa ou pela central 156.

Para participar, é necessário ser morador de São José dos Campos e ter idade mínima de 16 anos. A inscrição não garante a efetivação da vaga. A seleção vai priorizar pessoas desempregadas e com maior grau de necessidade econômica, apurada com base nas informações fornecidas pelos candidatos no ato da inscrição.

A oficina será realizada no dia 4 de abril, das 19h às 21h, na Casa do Trabalhador (Praça Afonso Pena, 175 – Centro). O objetivo é apresentar aos participantes as inovações do setor e dicas para evitar e como solucionar os principais problemas nas instalações.

 

Qualifica

qualificaDesde a criação em 2013, o programa realizou mais de cem cursos nas áreas de serviços, turismo, comércio e indústria, todos realizados em parcerias com as instituições do Sistema S de ensino profissionalizante.
Só em 2015 foram 46 cursos, 30 palestras, treinamentos e oficinas oferecidos gratuitamente, nas áreas:  artesanato, administrativa, estética, gastronomia, ensino de idiomas, indústria, serviços e construção civil. Foram mais de 5 mil vagas disponibilizadas em parceria com SENAI, SENAC, SESI, SEBRAE e ETEP Faculdades.

Informações: Secretaria de Relações do Trabalho/Casa do Trabalhador – Praça Afonso Pena, 175, Centro, pelo telefone (12) 3923-5770 ou pelo site www.sjc.sp.gov.br/qualifica.

 

 

Com informações da Prefeitura de São José dos Campos

Começam as obras da nova creche na Vila Monterrey

Começam as obras da nova creche na Vila Monterrey

1Jan16-30 Inicio das Obras - Creche Monterrey (3)Os moradores da Vila Monterrey começaram este sábado (30/01) com muita festa. O prefeito Carlinhos Almeida assinou a ordem de serviço para a construção da Escola de Educação Infantil da Vila Monterrey em uma cerimônia realizada no bairro. Também estiveram presentes secretários municipais, vereadores, presidentes de SABs (Sociedade Amigos de Bairros) e moradores.

“Essa unidade é uma grande oportunidade para as crianças começarem os estudos mais próximos de suas casas. Com o Governo do PT, os investimentos em educação na cidade não param. Graças ao programa “Todos para Creche – Creche para Todos” já foram criadas quase 5 mil vagas que melhoraram a qualidade de ensino na cidade”, ressaltou a vereadora Amélia.

A unidade escolar está sendo construída em parceria com o Governo Federal, por meio do PAC2 (Programa de Aceleração do Crescimento), em um terreno localizado na Rua Telma Pacheco de Oliveira, que tem um total de 6.250 m² e vai contar com 18 salas de aula e toda infraestrutura adequada para atender os alunos. Será um investimento de R$ 7 milhões e está sendo realizada pela empresa Elefe Construtora, de São José.

Serão atendidas crianças de 0 a 5 anos de idade, nos seguimentos de creche e pré-escola.

 

Todos Para Creche – Creche Para Todos

O programa, lançado no início de 2013 pelo Prefeito Carlinhos, tem o objetivo de melhorar a qualidade do ensino e a infraestrutura de todas as unidades de educação Infantil da rede, sejam administrações diretas ou conveniadas.

Em pouco mais de três anos serão sete novas escolas de ensino infantil. Até agora já foram criadas cerca de 5 mil novas vagas para crianças de 0 a 5 anos, diminuindo a demanda reprimida de mais de 7.500 crianças à espera de vagas nas Unidades de Educação Infantil da rede.

Inscrições para o Fies terminam nesta sexta-feira

Inscrições para o Fies terminam nesta sexta-feira

O prazo para inscrições no processo seletivo do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) do primeiro semestre de 2016 termina nesta sexta-feira (29), às 23h59. Nesta edição, são ofertadas 250.279 vagas. O resultado da pré-seleção, na chamada única, será divulgado no dia 1° de fevereiro.

inscrição-fiesPode se inscrever o estudante que tenha participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, obtido pelo menos 450 pontos na média das provas e não tenha tirado zero na redação. O candidato precisa ter também renda familiar mensal bruta per capita de até 2,5 salários mínimos.

O candidato poderá se inscrever em um único curso e turno entre aqueles com vagas ofertadas. Durante o período de inscrição, poderá alterar sua opção de vaga, bem como fazer o cancelamento. Os estudantes serão classificados de acordo com as notas no Enem na edição em que tiver obtido a maior média.

Do total de vagas ofertadas, 47% vão para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A maior parte da vagas (63%) vai para os cursos considerados prioritários pelo Ministério da Educação nas áreas de saúde (30,4%), engenharias (13,8%) e formação de professores (18,8%). Os outros 37% são para cursos das demais áreas.

Os estudantes que não forem pré-selecionados na chamada única serão incluídos na lista de espera para o preenchimento das vagas eventualmente não ocupadas. Tanto o resultado da pré-seleção na chamada única, quanto a lista de espera serão divulgados no dia 1º de fevereiro.

 

 

 

Fonte:  Portal Brasil, com informações da Agência Brasil