Por decisão política, prefeito Felicio cancela ampliação do Hospital da Mulher

Por decisão política, prefeito Felicio cancela ampliação do Hospital da Mulher

A ordem do governo Felicio de cancelar as obras de ampliação do Hospital da Mulher é uma decisão política, que penaliza as joseenses. O governo Carlinhos lançou a licitação da ampliação em março do ano passado e o processo foi paralisado em razão de uma ação do PSDB que nunca teve o interesse em manter ou ampliar o Hospital da Mulher. Para permitir a prefeitura fazer os investimentos necessários para implantar políticas públicas, como a atenção especial à saúde da mulher, a obra de ampliação seria feita na modalidade de licitação Locação de Ativos, também conhecida como “built to suit”, comum no setor privado.

Nesta modalidade, a empresa vencedora da licitação faz a obra e  só depois quando o equipamento passa efetivamente a ser utilizado é que a administração começa a pagar um aluguel pelo número de anos necessários para cobrir o investimento. No caso do Hospital da Mulher, seriam durante 15 anos.

Imagem ilustrativa da segunda fase do Hospital da Mulher

A obra do Hospital Regional que está sendo feita pelo Estado em São José é um modelo ainda mais complexo que o ‘built to suit’, que é a PPP (Parceria Público-Privada), onde a empresa além de receber os alugueis pelo investimento na construção, ainda vai explorar durante muitos anos os serviços de limpeza e segurança, por exemplo. Por isso, não faz sentido se falar em previsão orçamentária para obra, mas sim na previsão dos pagamentos dos aluguéis mensais a partir da data prevista para a conclusão da obra.

“Acabar com a ampliação do Hospital é um desrespeito às mulheres que, por meio do aumento dos serviços concentrados num mesmo lugar, teriam mais conforto e chance de tratamento e cura, especialmente nos casos de câncer. Esta é mais uma atitude lamentável do PSDB, que deixa a disputa política acima dos interesses da população”, ressalta a vereadora Amélia.

O Hospital da Mulher foi uma luta de muitos anos que só se tornou realidade no governo Carlinhos. Desde a campanha, os tucanos falavam que o verdadeiro Hospital da Mulher ficava em outro lugar, que ninguém nunca viu, no intuito de fechar o hospital. 

O PSDB tem destruído importantes políticas públicas, como o Centro de Ciências, a Escola Interativa, o Laboratório Digital, a nova UPA do Novo Horizonte, o Antipoeira, castigando quem mais precisa de atenção. A luta das mulheres vai continuar. Não vamos aceitar retrocesso no Hospital da Mulher.