Lula entra com ação contra O Globo por conta de mentiras sobre triplex no Guarujá

Lula entra com ação contra O Globo por conta de mentiras sobre triplex no Guarujá

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou nesta terça-feira (18) com uma ação pedindo reparação por danos morais contra matéria publicada pelo jornal O Globo, intitulada “Dinheiro liga doleiro da Lava-Jato à obra de prédio de Lula”. O diário carioca publicou no dia 12 de agosto uma reportagem na qual afirma que o ex-presidente seria dono de um apartamento triplex no Edifício Solaris, no Guarujá (SP), e que o empreendimento estaria ligado de alguma forma ao doleiro Alberto Youssef.

Lula institutoAntes da publicação do artigo, o Instituto Lula esclareceu ao jornalista, que Marisa Letícia, esposa do ex-presidente, adquiriu a prestações, uma cota no empreendimento e que a família do ex-presidente não tem nenhum apartamento, quanto menos um tríplex. Não foi a primeira vez que isso foi esclarecido a este repórter e o jornal carioca optou por dar continuidade a mentira que vem repetindo desde dezembro do ano passado.

O autor da matéria insistiu na versão mentirosa, com amplo destaque tanto na versão impressa do jornal, quanto na internet.  O Instituto Lula respondeu ao Globo em nota no dia 14 “Lula não tem apartamento no Guarujá. E se tivesse?” (http://www.institutolula.org/lula-nao-e-dono-de-um-apartamento-no-guaruja-e-se-tivesse)

Em sua edição de sábado (15 de agosto), o jornal tentou justificar a atribuição da propriedade do imóvel pelo ex-presidente por informações passadas pela “vizinhança”, ou seja, fez um jornalismo baseado em fofocas de corredor de prédio.

A ação demonstra que a matéria teve claro caráter difamatório e o mero registro burocrático do outro lado não compensa os danos morais causados pela veiculação de graves mentiras. Que foram criadas relações que não existem entre uma cota de empreendimento adquirida a prestações pela família do ex-presidente e Alberto Youssef, criminoso reincidente.

Leia a ação do ex-presidente Lula contra o jornal O Globo.

 

 

Fonte: Instituto Lula

Modelo do Bolsa Família foi “exportado” para 52 países

Modelo do Bolsa Família foi “exportado” para 52 países

O Bolsa Família apresentou resultados importantes ao longo de seus 12 anos de existência. Desde a sua criação, em 2003, o programa de transferência de renda ajudou a tirar cinco milhões de pessoas da extrema pobreza. Os números do programa acabaram chamando atenção do resto do mundo. Hoje, segundo o Banco Mundial, 52 países utilizam o mesmo formato do Bolsa Família em seus programas de transferência de renda.

cartao-bolsa-familiaEntre 2011 e 2015, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) recebeu 406 delegações de 97 países, interessadas em entender melhor o funcionamento do programa. Nesse período, o ministério também participou de mais de cem eventos internacionais, como seminários, workshops e oficinas, com o objetivo de apoiar e facilitar o intercâmbio de conhecimentos e experiências, principalmente no hemisfério sul.

Bolsa Família - Desigualdade“Inicialmente, na criação do programa, não prevíamos esse reconhecimento internacional”, diz Helmut Schwarzer, secretário de Renda de Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). “O objetivo era construir um programa de combate à pobreza e à fome. Sabíamos que alguns resultados seriam alcançados. O que entrou na conta do imprevisto foi a forma articulada como o programa se desenvolveu com outras políticas, como isso gerou sinergias altamente impactantes.”

Para Schwarzer, o Brasil também se beneficia das relações internacionais de troca de experiências em torno do programa. “Ajuda na imagem, superando a ideia de um País extremamente desigual”, avalia.

Destaque no Relatório de Desenvolvimento Humano 2015

20130526185659-20130526185659-bolsa-familia-1No fim do ano passado, o Bolsa Família voltou a ser citado internacionalmente como exemplo de sucesso. O Relatório de Desenvolvimento Humano 2015, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), afirma que o programa foi essencial para a redução da pobreza multidimensional no País, por promover o acesso à saúde, à educação e à assistência social.

De acordo com o documento, o Bolsa Família tem ajudado a reduzir as taxas de inatividade e informalidade e permitido aumentos na taxa de emprego da população economicamente ativa, na proporção de trabalhadores que contribuem para a seguridade social e nos salários.

Baixo custo de administração

Maria Concepcion Steta Gandara, analista sênior de Proteção Social do Banco Mundial, explica que algumas características do Bolsa Família ajudam a entender o sucesso do programa. “O pagamento automatizado por meio de cartão, o Cadastro Único e a coordenação entre os governos federal, Estadual e municipal são fundamentais para os resultados do programa, para a sua credibilidade e legitimidade”, afirma.

O Bolsa Família acompanha a frequência escolar de 17 milhões de alunos anualmente e a saúde de 9 milhões de famílias por semestre. Essa ação integrada trouxe resultados como a redução da deficiência nutricional crônica, que caiu pela metade entre 2008 e 2012 – de 17,5% para 8,5%. Na educação, a análise do Banco Mundial aponta que o Bolsa Família aumenta em 21% a probabilidade de uma jovem de 15 anos frequentar a escola.

O baixo custo do Bolsa Família é outro ponto destacado por países que buscam acordos de cooperação para implantação de políticas de transferência de renda e redução da pobreza. Apenas 5% do valor investido no programa é gasto com custos administrativos – no resto do mundo, a média é de 15%.

Cadastro Único

Destacado por Maria Concepcion Steta Gandara, o Cadastro Único abrange 40% da população mais pobre do País, com uma taxa de atualização de 72%, sendo também referência internacional na implementação de políticas públicas. “É uma ferramenta fundamental para evitar duplicidades entre programas, além de ser eficiente na coordenação entre políticas e programas das diversas esferas governamentais”, explica a analista do Banco Mundial.

Bolsa Família - CadUnicoConcebido inicialmente para a operação do Bolsa Família, o Cadastro Único passou a ser utilizado por outros programas de proteção social, Estados e municípios. Hoje, mais de 20 programas do governo federal utilizam os dados do Cadastro Único obrigatoriamente, e mais de 30, não obrigatoriamente. Cerca de 15 milhões de entrevistas são realizadas anualmente para manter o cadastro atualizado. “Não tenho notícias de outros países que consigam manter um cadastro tão atual e com tanta qualidade como esse”, diz Helmut Schwarzer.

 

 

 

Fonte: Portal Brasil, com informações da Agência Caixa de Notícias

Em SP, ato “histórico” reúne mais de 100 mil em defesa da democracia

Em SP, ato “histórico” reúne mais de 100 mil em defesa da democracia

Na tarde desta quarta-feira (16), o trajeto entre a avenida Paulista e a Praça da República, no centro da capital, foi tomado por uma onda vermelha. Segundo estimativa da Central Única dos Trabalhadores (CUT), uma das entidades organizadoras das manifestações em todo o País, mais de 100 mil pessoas tomaram as ruas se manifestando em defesa da democracia, contra o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff e pedindo a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

16-12 Manifestação Democracia PT (2)Sob gritos de `não vai ter golpe`, o presidente da CUT, Vagner Freitas, cobrou mudanças na política econômica do governo e frisou que, mesmo assim, os movimentos estão com Dilma até o fim. Segundo ele, o golpe não é apenas contra a democracia e a presidenta Dilma. Em sua explanação, ele pontuou que os direitos dos trabalhadores estão em jogo.



16-12 Manifestação Democracia PT (4)Representante de outra entidade que organizou o ato, a presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Carina Vitral, ressaltou que as ruas são dos movimentos de esquerda que lutam por mais direitos.

Muito lembrada pela atuação dos estudantes secundaristas nas ocupações que protestavam contra a desorganização proposta por Alckmin, a presidenta da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), Camila Lanes, defendeu que, para ampliar os direitos sociais, é necessário não só respeitar, como aprimorar a democracia.

16-12 Manifestação Democracia PTCoordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos ironizou a contagem dos presentes feita pela imprensa. Segundo ele, além de aprender sobre política, a grande mídia precisa entender de matemática para perceber a realidade das mobilizações populares.

Também presente na manifestação, o presidente nacional do PSOL, Luiz Araújo, ponderou que o impeachment da presidenta Dilma pode representar a aceleração da retirada de direitos dos trabalhadores.

O presidente estadual do PT-SP, Emidio de Souza, agradeceu o apoio daqueles que, mesmo não apoiando o governo Dilma, se mobilizaram para defender a democracia. “Nós do PT reconhecemos as limitações do governo na política econômica e das dificuldades que estamos passando, mas sabemos também o quanto custou para a gente chegar aqui”, frisou.

16-12 Manifestação Democracia PT (3) Para Emidio, Cunha e o PSDB querem uma democracia sem povo. “Não é possível que o país se submeta a um chantagista, como o Eduardo Cunha. Não é possível que o PSDB dê o seu apoio a um mercenário, bandido. Não é possível que o povo brasileiro não perceba o golpe que se arma contra a Dilma, contra os direitos do povo brasileiro”, falou. De acordo com ele, a militância petista continuará na luta ao lado das forças progressistas contra o impeachment, na rua e no parlamento.

Emidio ainda saudou o procurador-geral da república, Rodrigo Janot, por pedir o afastamento de Cunha. “Espero que o Supremo Tribunal Federal acolha o parecer do procurador e afaste ele da Câmara”, frisou.

Quando algumas pessoas começaram a chegar na Praça da República, outras ainda estavam no meio da avenida Paulista. Isso fez com que os presentes passassem a chamar o ato de histórico.

Na avaliação do presidente municipal do PT, Paulo Fiorilo, o impacto causado pelo ato vai fazer os golpistas repensarem. “Um ato histórico, uma demarcação clara de que eles não vão dar um golpe da forma como estavam querendo. O povo veio pra rua e vai continuar”, frisou.

O deputado estadual Angelo Perugini classificou o ato como um marco na história da república. De acordo com ele, mesmo depois de uma grande campanha de difamação do governo e do PT, a esquerda se uniu e mostrou que tem lado. “Hoje vai ficar marcado na história dessas 100 mil pessoas que vieram às ruas”, disse.

16-12 Manifestação Democracia PT (1)Uma demonstração histórica do povo brasileiro de defesa da democracia e contra o golpe. Essa é análise do deputado estadual Alencar Santana. Segundo ele, a população brasileira sabe muito bem o que está em jogo e não abrirá mão de suas conquistas. “Um grande exemplo de como o povo não é bobo, que sabe o que quer e que vai defender os seus direitos conquistados a dura pena”, explicou.

Quando o caminhão que levava as lideranças dos movimentos sociais chegou à Praça da República, um manifesto assinado por várias entidades que pede unidade e mobilização popular para a luta contra o impeachment, pelo fim do ajuste fiscal e pelo Fora Cunha.

Ao final da atividade, o presidente do PT-SP, Emidio de Souza, avaliou que o ato foi histórico e que a militância petista está de parabéns pelo engajamento. De acordo com ele, as ruas foram tomadas por uma militância aguerrida que mostrou capacidade de mobilização. “A militância do PT maciçamente foi às ruas com uma garra que há muito não se via. Foi uma mobilização sem precedentes que mostrou o quanto somos capazes de nos reinventar e defender o nosso legado. Junto com os movimentos sociais e partidos de esquerda criamos uma poderosa barreira”, ressaltou.

 

 

Fonte: Portal Linha Direta

Eduardo Cunha à frente da Câmara deixa a instituição sob suspeita, lamentam petistas

Eduardo Cunha à frente da Câmara deixa a instituição sob suspeita, lamentam petistas

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara não cessam de denunciar e protestar, na tribuna da Câmara, contra a tentativa de golpe comandada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em parceria com deputados da oposição conservadora para derrubar a presidenta Dilma Rousseff.
PT - Video Para o deputado Bohn Gass (PT-RS), a eleição da comissão especial foi uma vitória “dos fora da lei” que não respeitam as regras da democracia. “Apelar para uma votação secreta não é apenas uma tramoia regimental das tantas que o presidente da Câmara tem feito, mas é uma afronta à lei. Não se dá nome bonito para coisa feia. Quem muda a lei para se beneficiar é golpista. Eu repito: golpista! Neste Parlamento quebraram as regras e a tradição. O nome disso: golpe. Quem fez isso? A turma do senhor Eduardo Cunha junto com os tucanos”, criticou.

“A Câmara, de novo, foi cenário de barganha, chantagem, desonestidade, negociata e falta de honradez. Enquanto o senhor Eduardo Cunha presidir esta Casa, ela, como ele, será uma Casa sob suspeita”, acrescentou Bohn Gass.

PT videoO deputado Pepe Vargas (PT-RS) também reafirmou a necessidade de que Eduardo Cunha seja afastado da presidência da Câmara. “Eduardo Cunha não tem a menor condição de continuar presidindo esta Casa. Ele vem se utilizando do poder da Presidência da Câmara para tomar medidas absolutamente ao arrepio da lei com o único objetivo de se blindar no processo da representação feita contra ele no Conselho de Ética da Casa”, afirmou Pepe.

Já a deputada Professora Marcivania (PT-AP) manifestou preocupação com o comportamento dos segmentos da direita do País que querem voltar ao poder a qualquer custo. “Acima de tudo, vivenciamos uma turbulência promovida por setores que efetivamente não se conformam com a derrota nas urnas e querem, a qualquer preço, retomar o comando do país, mirando satisfazer os seus interesses pessoais e daqueles setores econômicos que representam. O comportamento dos segmentos da direita do Brasil, na oposição, é uma clara demonstração de que, para serem colocados de volta no poder, todos os meios são justificáveis. Não importa o risco que se impõe ao País, não importa quem são os possíveis aliados, não importa as incoerências que revelam, não importa o preço que a sociedade vem pagando e poderá vir a pagar; o que importa é saciar uma sede de poder”, ressaltou a deputada do PT.

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) também lamentou as manobras e diz que não há qualquer justificativa para a tentativa de golpe. “Aqueles que se defendem e dizem que não são golpistas utilizam a Constituição para se justificar porque estão envergonhados, porque sabem que são golpistas. E são golpistas por quê? Porque quando você vai ler a peça jurídica apresentada, não justifica o pedido de impeachment, a peça é uma vergonha, é uma aberração jurídica”, disse Reginaldo.

Para o deputado Ênio Verri (PT-PR), um presidente “denunciado por falcatruas gigantescas, envolvendo inclusive dinheiro no exterior, não tem condições de presidir a Câmara”. Verri espera que os movimentos sociais ocupem as ruas “para defender e exigir o respeito à democracia e para pedir o afastamento de Cunha da presidência da Câmara”.

Uma instituição que tem “uma linda história em defesa da democracia”, disse o deputado Angelim (PT-AC), não pode ser comandada por alguém como Eduardo Cunha. “É inconcebível que ele ainda permaneça na presidência desta Casa”, registrou Angelim.

 

 

Fonte: Linha Direta

 

PT-SP sedia plenária de preparação do ato do dia 16

PT-SP sedia plenária de preparação do ato do dia 16

Na tarde do próximo domingo (13), o Diretório Estadual do PT em São Paulo recebe diversos militantes, dirigentes, prefeitos e parlamentares para participarem de plenária de preparação para o Grande Ato do dia Nacional de Luta contra o Impeachment, o ajuste fiscal e pelo Fora Cunha.

PT na paulista

Iniciativa da direção estadual do PT-SP, a reunião será aberta a toda a militância.

Serviço:

Plenária de preparação para o Grande Ato do dia Nacional de Luta contra o Impeachment, o ajuste fiscal e pelo Fora Cunha
Data: 13/12 – Domingo
Horário: 18h
Local: Diretório Estadual do PT-SP
Endereço: Rua Abolição, 297 – Bela Vista – São Paulo

 

 

Fonte: Linha Direta