Ministra destaca tolerância zero contra violência às mulheres

Ministra destaca tolerância zero contra violência às mulheres

A ministra  da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, disse  que a tolerância zero deve nortear todos os atos de violência e o combate à impunidade. Ela participou do ato de adesão do Ceará ao ‘Mulher, Viver sem Violência’,  em Fortaleza.
Na apresentação do ‘Mulher, Viver sem Violência’, frisou que o “governo brasileiro, presidido pela primeira mulher, não só não tem medo de enfrentar os injustos, como também a injustiça social”.

Margaridas. “O Ceará está florido. Estão chegando as decididas. É o querer, é o querer das Margaridas”. Com chapéus de palha e fitas lilás com os dizeres “Mulher, Viver sem Violência”, trabalhadoras rurais saudaram a chegada da primeira das duas unidades móveis para circular em áreas remotas do Ceará. Doados pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), os veículos, dois por unidade federativa, atendem reivindicação de camponesas à presidenta Dilma Rousseff, em 2011.
“Minha vinda aqui, como em todos os estados, representa a presença da presidenta Dilma. Ela entregando, por meio das minhas mãos e cumprindo promessa às mulheres do campo e da floresta. E isso mostra que o Estado chega, onde ninguém chegou com políticas públicas”, ponderou a ministra Eleonora Menicucci.

eleonarameicucci

Lei. Dirigindo-se a Maria da Penha Maia Fernandes, cujo nome designa a Lei nº 11.340/2006, Menicucci declarou: “para que situações como a sua não aconteçam, a presidenta Dilma e eu estamos obcecadas nas políticas de enfrentamento à violência contra as mulheres”.
O governador do Ceará, Cid Gomes (PROS-CE), resgatou a barbárie da escravização negra, a naturalização da pobreza e da miséria e a violência contra as mulheres, para exemplificar a banalização de dominações e explorações.  E deu as bonas-vindas ao porgrama do governo federal. “A Casa da Mulher Brasileira será um grande avanço porque centraliza num mesmo espaço quase toda a demanda. A Casa é um passo importante, e os ônibus levaram serviços para os 175 municípios sem delegacia especializada”.

Sociedade civil
– Escolhida para falar pelo grupo, Rosangela Moura reconheceu o legado da luta feminista: “nós, que somos da luta, que fomos à Marcha das Margaridas, levamos a pauta. É uma enorme alegria tê-la aqui, ministra”. Defendeu a criação do Fórum Estadual de Mulheres do Campo e da Floresta.
O governo estadual será o responsável pelo planejamento, articulação, gestão de logística e percurso veículos, assim como pelos serviços de atendimento prestados. Itinerário e calendário serão definidos em conjunto com o Fórum Estadual de Mulheres do Campo e da Floresta, com apoio da coordenação nacional do Fórum, da Marcha das Margaridas e da SPM.
Para a secretária da Mulher do Ceará, Mônica Barroso, “a presidenta tem sido muito generosa. As unidades móveis são de muita agenda. O procurador de Justiça do Ceará, Ricardo Machado, manifestou a colaboração do Ministério Público. “Temos procurado ampliar parcerias. Ministra, nesse novo tempo estamos a postos”.
Associado ao Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, o programa visa a articular o atendimento integral das vítimas por meio de serviços públicos de segurança, justiça, saúde, assistência social, acolhimento, abrigamento e orientação para trabalho, emprego e renda na Casa da Mulher Brasileira. O ‘Mulher, Viver sem Violência’ tem investimento total de R$ 305 milhões.