Amélia Naomi e Wagner Balieiro têm demonstrado ao longo da história compromisso com a defesa da cultura como elemento central para o desenvolvimento humano. Na Câmara dos Vereadores de São José dos Campos deram mostras concretas desse compromisso ao votar e apoiar projetos como:

defesa da revitalização e abertura para a população do Cine Teatro Benedito Alves, importante patrimônio joseense preservado por lei municipal;

– defesa da revitalização das antigas estações de trem (Eugênio de Melo, Martins Guimarães e Central), preservadas por lei municipal, para serem utilizadas pela população;

– defesa da revitalização e abertura do Prédio da Coletoria do Estado para utilização da população;

– defesa da revitalização do Complexo da Tecelagem Parahyba e elaboração de Plano Diretor participativo para a ocupação desse privilegiado espaço;

– implementação, por lei, do Fundo Municipal de Cultura;

– aprovação da lei que cria a Semana Chico Triste;

– aprovação do Sistema Municipal de Cultura;

– apoio à Rede Municipal de Pontos de Cultura;

– apoio aos editais dos Mestre Cultura Viva e de Grupos de Cultura Popular;

– defesa da criação da Casa de Cultura Lili Figureira;

– apoio aos avanços promovidos pela gestão da Fundação Cultural Cassiano Ricardo 2013 – 2016;

– lutaram contra a lei que proíbe apresentações artísticas em semáforos;

– lutaram contra à extinção da Orquestra Sinfônica;

Com esta prática temos a certeza que na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa, seus mandatos estarão à disposição dos movimentos culturais no âmbito estadual e nacional, na luta para implementação de políticas culturais, em especial na Região Metropolitana do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira.

É premente que o Ministério da Cultura retome seu protagonismo na articulação com os entes da federação e sociedade civil, o que já foi realizado nos governos Lula/Dilma, para fazer valer os instrumentos de gestão cultural já consignados na Constituição Federal. Ainda no âmbito federal será necessário retomar a implantação da Lei Cultura Viva com os Pontos de Cultura pelo país; aprovar o mais urgente o Pró-Cultura elevando os recursos destinados ao Fundo Nacional de Cultura; ampliação dos editais e fomentos aos grupos e artistas, priorizando regiões desprovidas de recursos e equipamentos públicos, fortalecer e consolidar o Sistema Nacional de Cultura – SNC.

No Estado de São Paulo, será necessário diálogo com a sociedade para implantação dos instrumentos de Gestão Democrática Participativa: Conselho, Plano e Fundo; aumento do orçamento, que é escasso, e garantia de descentralização e distribuição para o interior; revisão da gestão por OSCs – Organizações da Sociedade Civil visando uma política mais integrada e otimização de recursos.

Além das bandeiras de luta no campo da cultura, os mandatos serão de suma importância para sustentação do presidente Haddad e o do governador Luiz Marinho no sentido de colocar em pratica seus programas de governo visando a diminuição das desigualdades sociais.

Com os mandatos dos deputados Amélia e Wagner temos a certeza que as demandas da cultura serão defendidas na Assembleia e no Congresso Nacional.

Por tudo isso é que nós declaramos todo o nosso apoio as suas candidaturas, pois desta maneira na Região Metropolitana do Vale do Paraíba, no Litoral Norte e na Serra da Mantiqueira a cultura terá vez e voz.

ASSINAM ESTE MANIFESTO:

Adilson Dimas Santos | ex-membro do Conselho Deliberativo da FCCR

Adriana Marques | atriz –Teatro D`Aldeia

Alcemir Palma | ex-Presidente da FCCR

Almir Luz | músico e ator

Analú Oliveira | livreira e produtora cultural

Andréa Barros  | atriz

Anthony Aquino | ator

Arnaldo Akira | historiador e artista

Bêa Galvão | ativista cultural e sindicalista

Bete Bino | professora e produtora cultural

Brisa Palma | educadora

Carlos Rosa | ator e diretor

Cláudio Mendel | ator, diretor, ex-diretor Cultural da FCCR

Célio Chaves | historiador e ex-diretor de Patrimônio Histórico da FCCR

Celso Pan | músico

César Pope | músico, produtor cultural e presidente do Ponto de Cultura Rádio Aguapé

Cordéis Joseenses | músico e poeta

Daniela Savastano | produtora cultural

Déo Lopes | músico

Ed Trawtmam | engenheiro e cinegrafista

Fabrício Cunha | escritor

Fabrício Camilo | ativista cultural

Fernanda Silva | tecelã

Gabriel Alves da Silva Jr | membro do Conselho da FCCR e Conselho Gestor do FMC 2013-2016

Giba Reis | músico e produtor cultural

JB Magalhães | escritor e músico

Joka Faria | professor e escritor

Kika Campos | produtora cultural

Luciana Leite | atriz

Luciano de Paula| Diretor Cultural da APVE

Luelle Brito | produtora cultural

Marcello Stasi | regente e diretor artístico da extinta Orquestra Sinfônica de São José dos Campos

Márcio Oliveira | músico

Maria José Del Olmo | historiadora

Maria Helena de Castro | gestora administração pública

Mauricí Damaceno  | advogado e professor universitário

Mauro Chazanas | bancário aposentado e fã das artes

Max Gonzaga | músico

Meire Pedroso | professora e atriz

Peninha – Luiz Augusto | ativista cultural

Priscila Vidal | ex-diretora de Patrimônio Histórico da FCCR

Sandra Sampaio | regente de coral e ex-Diretora Cultural da FCCR

Silvia Nery | contadora de estórias e arte-educadora

Silvia Sotero | jornalista e atriz

Sueli Demétrio | agente cultural

Soyanara Reis | ativista cultural

Thiago  Silva | capoeira

Vanda Siqueira | psicóloga e ex-presidente da FUNDHAS

Vivian Rau | atriz e arte-educadora

Wangy Alves | historiador e diretor de teatro

William Resende | ativista cultural

Zenilda Lua | assistente social e poeta